A relação com as marcas

Já reparou na quantidade de produtos que compramos por dia? Ou na quantidade de interações que temos com as marcas todos os dias?

A todo o momento estamos escolhendo e vivenciando um pouco de cada marca, seja na escolha de um restaurante fast-food ou na compra de um tênis. Sem dúvidas, nos identificamos mais com uma empresa ou produto, do que a concorrência, certo? Mas por que escolhemos tanto para imergir em uma nova marca?

Aqui na Neurona, quando falamos de marca, estamos falando da identificação de uma empresa, de algum produto ou até mesmo de um serviço. Sendo assim, interagimos com as marcas constantemente, muito mais do que percebemos, criando valor e associações tanto positivas quanto negativas.

O grande sucesso destas empresas está ligado diretamente às experiências vividas pelos usuários e à confiança gerada nos momentos de interação. Por isso, faça com que a experiência com a marca seja 100% positiva para seus clientes. As impressões criadas pelos usuários são feitas a partir da interação com o seu negócio. Por exemplo, se comprarmos um carro top de linha e este quebrar no primeiro mês, iremos associar a marca como ruim, pois a experiência vivenciada não teve o resultado esperado. Por outro lado, se o carro atendesse a todas as expectativas, com toda a certeza iríamos ficar satisfeitos com o produto e indica-lo para outras pessoas.

Por isso, somos bombardeados por informações e campanhas publicitárias diariamente. As empresas têm como objetivo capturar as preferências dos clientes para criar produtos mais competitivos e mais interessantes, e consequentemente vender mais.

Criar uma marca de sucesso requer consistência, portanto é preciso desenvolver um plano estratégico para encantar seus consumidores. Para haver lembrança da sua marca é preciso criar um conjunto de elementos positivos, que reflita toda a visão, missão e valores da empresa. É preciso também estudar muito bem o mercado e o público alvo para poder criar a comunicação entre as partes; ambiente, comportamento dos funcionários, qualidade do produto, conceito das campanhas publicitárias, apresentação da empresa, entre outros materiais complementares.

Para finalizar, a marca pode ser representada através de um nome, um termo, um sinal ou um desenho, ou ainda uma combinação desses elementos com a finalidade de identificar um negócio, produto ou empresa. Já a identidade visual é toda a comunicação visual complementar, ou seja, são as extensões da marca, onde são aplicados elementos visuais com objetivo de criar uma comunicação exclusiva.

Apenas por curiosidade, faça um teste. Pense em um mercado (ex.: Automotivo) e liste o máximo de marcas que você conhece (Ex.: Ford, BMW, etc.). Se você conseguir lembrar mais de 5 marcas é porque você está realmente imerso no mercado ou as empresas de fato conseguiram se posicionar de maneira adequada.

Autor: Daniel Faulin
Co-autor: Thales Fuzetti

Documento próprio, com caráter educacional. Todo o conteúdo foi desenvolvido com base em pesquisa e experiência da agência. Compartilhe e divulgue, mas não se aproprie de forma ilegal do conteúdo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *