Lab • Criamos experiências positivas

Todos sabemos que as empresas são feitas de pessoas e que cada uma possui o seu interesse, variando de acordo com sua área de atuação e o cargo exercido.

Para as pessoas alcançarem seus objetivos e baterem suas metas, elas precisam se relacionar com outras pessoas, seja dentro da própria organização, com um fornecedor, um cliente, imprensa e etc. E como são realizados estes relacionamentos?

Através de experiências positivas! Esses são os elos que transformam os contatos em parcerias duradouras e sustentáveis. Se você possui um bom relacionamento com alguma pessoa, tem maior abertura para iniciar uma conversa, tem mais assunto, tem confiança, entende os seus problemas, busca soluções em conjunto e ‘n’ outros benefícios. Agora, imagine o contrário, um relacionamento de experiências negativas, onde o seu contato não lhe dá atenção, não é transparente, não procura te entender, entrega materiais errados, não cumpre com os prazos… Com certeza você fechará suas portas à ele.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, como a sua empresa se relaciona com as pessoas? Quais são os pontos de contato com os seus públicos? O que faz para criar experiências positivas com eles? O que faz de diferente para criar experiências únicas com eles?

Além dos próprios colaboradores fazendo seus contatos (pessoa x pessoa), a comunicação exerce papel fundamental para transmitir as mensagens desejadas ao público, portanto a sua execução deve ser muito bem planejada em todos os pontos de contato com seus públicos.

Um ponto de contato, por exemplo, é sua empresa participando de uma feira de negócios. Quais ações são realizadas antes do evento acontecer para que seu contato se sinta exclusivo e tenha interesse em participar? E durante, quando seu contato está dentro do seu stand, você deixará que a experiência dele seja igual a de uma visita ao stand do concorrente ou a qualquer outro? E depois dessa visita, existe algo que possa aumentar ainda mais o nível dessa experiência? A maioria das empresas faz apenas o trivial, pois o pensamento é centrado na própria empresa e não em seu contato. Porém o trivial não basta, é igual aos outros, não fica na memória, não gera encantamento!

Também não são somente “quais” as ações que devem ser planejadas. Além do “o que”, existe o “como vamos fazer”, onde entra a linguagem adotada para a mensagem, o canal em que será divulgada, e etc. Tudo isso interessa e é recebido pelo seu público de uma maneira diferente.

Esse é o nosso papel. Pensamos e desenvolvemos as ferramentas necessárias para que você e sua empresa criem experiências positivas com os seus públicos em todos os pontos de contato, e assim gerar negócios mais afetivos e efetivos.

E lembre-se sempre que quando falo em experiências positivas, são sempre voltadas ao seu público, ele deve ser o centro das atenções. Quanto mais você se interessar e conhecer eles, mais o caminho inverso será recíproco. : )

 

Autor: Thales Fuzetti
Co-autor: Daniel Faulin

Documento próprio, com caráter educacional. Todo o conteúdo foi desenvolvido com base em pesquisa e experiência da agência. Compartilhe e divulgue, mas não se aproprie de forma ilegal do conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *